[GUIA] Aprofundando o seu personagem e cometendo crimes.

Dicas e instruções das mais variadas espécies. Leitura obrigatória para jogadores iniciantes.
Avatar do usuário
Vocam
Mensagens: 1540
Registrado em: 15 Fev 2016, 02:24

[GUIA] Aprofundando o seu personagem e cometendo crimes.

Mensagem por Vocam » 15 Ago 2019, 15:06

O intuito deste tópico é trazer menos formalidade e mais informações, buscando te ajudar a se aprofundar no desenvolvimento dos teus personagens.


Todos nós temos motivos, basicamente é isso, todo mundo faz aquilo que julga necessário por algum motivo e eu vou te dar alguns exemplos. Dois personagens meus, Jasper Doyle e Antonio Caro. O meu antigo personagem Jasper Doyle era um skinhead, um gângster de Las Colinas Valley e vivia em prol do tráfico de metanfetamina e empoderamento branco (white pride, aquilo que todo mundo interpreta de maneira errônea e cheia de esteriótipos). Ele não tinha nenhum membro da família por perto dele, eram os parceiros de gangue e isso, só, alguns que ele considerava mais e alguns que considerava menos, o único motivo dele fazer parte de um círculo de tráfico era o dinheiro, conforto pra si mesmo, sensação de poder e inflar o ego, é o que a maioria dos bandidos fazem, não é? Não, ou melhor, nem sempre, se tu se aprofundar no desenvolvimento do teu personagem tu consegue linkar motivos pra ele deixar de cometer tais ações e fazer outras. Eu vou usar esse gancho pra entrar no mérito do meu outro personagem, Caro. Antonio Caro é um hispânico que é de fato mexicano mas sequer teve convivência com o país natal, é um cara da cidade grande e que se criou em um bairro pobre, Las Colinas Valley. O motivo dele é a família, tudo que ele fez e fará é em prol da família dele, mulher e filho. Ele provavelmente vai travar na hora de apertar o gatilho em cima de um adolescente que é envolvido no tráfico (talvez pela mãe desempregada, a motivação dele) porque pensou no filho dele ali e não vai conseguir terminar o que tinha começado, o assalto, o ataque, o payback, o que for.

Eu sei o quão complicado é isso de interpretar família dentro do jogo porque ele é de fato limitado e isso acaba gerando frustração, e o script básico de todo personagem ter uma mãe/pai ausente/morto, mas se aprofundar nisso é MUITO bom e te traz a novos ares, te fazer sentir outros bagulho no roleplay que tu não tinha conseguido alcançar ainda, tá ligado?

Ou tu pode simplesmente trazer da forma mais realista que tu encontrar os sentimentos do teu personagem à tona, tá sacando? Deixar explicito que o teu personagem é sentimental ou durão, mas sempre tentando fugir dos esteriótipos, tentando sair daquela caverna, tá ligado?

Uma dica boa pra tu trazer mais do teu personagem pra telinha dos telespectadores do teu tópico é assistir filmes e séries, sugar o máximo que der de cada personagem do filme e transformar em um, tá sacando? De forma que fique algo único e criado por ti mesmo (eu particularmente faço isso com frequência e aos olhos do público que acompanha o trajeto desses personagens, é interessante).






Isso é uma imagem de uma câmera de segurança e só no bairro aonde eu moro eu consigo ver pelo menos umas cinco, seis, agora imagina isso em uma cidade como Los Angeles (no nosso caso, LS), boa parte da cidade é monitorada e a polícia é eficaz.

''Ah, atirei em 20 pd hahahaha pdkiller''
Vai se foder. Eu já vi umas vinte cabeças falando sobre isso no fórum do AD-RP e eu vou reforçar, na vida real uma das piores burrices que um cara pode fazer lá na gringa é atirar pra cima da polícia, tem uma frase do Philipe que é muito boa. ''Nunca viu os filmes? Os neguinho falando: Atirar pra cima da polícia? Tô fora!''. Se eles são eficazes em prender um cara que roubou uma 24/7 de máscara e tudo imagina pra jogar na perpétua um exibido que apertou o gatilho pra cima de uma viatura.

E eu não me falo pra PARAR de trocar tiro, porra, provavelmente o governo deve amar os bandidos trocando tiro entre em si tlg kkkkkkkkkkkkkkkkkk evita ter que mandar o esquadrão da morte deles pra rua uma pá de vezes, eu tô falando sobre cês usarem o ''interior'' dos personagens pra cometer e não cometer umas parada bruta.

Avatar do usuário
splashin stax
Mensagens: 772
Registrado em: 19 Jan 2018, 05:32
Localização: rastafemea

Re: [GUIA] Aprofundando o seu personagem e cometendo crimes.

Mensagem por splashin stax » 15 Ago 2019, 15:21

dando aulas em vulcao, muito foda parceiro
.

Avatar do usuário
Jason_Iamonte
Mensagens: 317
Registrado em: 23 Jun 2018, 21:09
Localização: Muluni r’acqua

Re: [GUIA] Aprofundando o seu personagem e cometendo crimes.

Mensagem por Jason_Iamonte » 15 Ago 2019, 16:14

Acredito que compreender a filosofia do personagem é bem importante também. Antes de criar qualquer linha de desenvolvimento, tenho a crença que para solidificá-la, é imprescindível pontuar dois pontos em sua estrutura. Depois que o usuário souber responder tudo isso, definitivamente ele será um bom criminoso.
  • Princípios éticos e morais — qualquer personagem deve ter isso em mente. É de fundamental importância construir isso acerca do desenvolvimento de um criminoso.Todas as pessoas têm princípios. Até que ponto seu personagem se envolve? Até onde ele consegue chegar? E todas essas respostas, dá-se por conta de experiências. É interessante desenvolver, numa ideia, uma infância ou situações que colaboraram pra ter essas características de pensamento.
  • Condições e necessidades — talvez o fator mais importante, a grande questão: por que você é um criminoso? Esse é o questionamento que vai ser a base do personagem. Em quais condições ele se encontra pra realizar uma infração?
Santa sera a li santista.
Santa sera.
Siete pronti per formare la Santa?
Siamo prontissimi.

Avatar do usuário
Ritter
Mensagens: 637
Registrado em: 18 Mai 2018, 11:58

Re: [GUIA] Aprofundando o seu personagem e cometendo crimes.

Mensagem por Ritter » 15 Ago 2019, 18:00

éorocam mano
L.V.D.V

Avatar do usuário
BigCrime
Mensagens: 107
Registrado em: 26 Set 2016, 18:01
Discord: Nexuz#0767

Re: [GUIA] Aprofundando o seu personagem e cometendo crimes.

Mensagem por BigCrime » 15 Ago 2019, 20:04

Cocão, o professor!

Responder