Como interpretar as drogas corretamente

Dicas e instruções das mais variadas espécies. Leitura obrigatória para jogadores iniciantes.
Avatar do usuário
Baldin
Mensagens: 4633
Registrado em: 28 Dez 2013, 16:18
Localização: Caxias do Sul, RS
Discord: Gustavo Baldin#0982

Como interpretar as drogas corretamente

Mensagem por Baldin » 23 Abr 2019, 02:02

Tenho visto cenas bem caóticas dentro do servidor, tutoriais manjados, histórias sem qualquer fundamento sobre drogas em específico e embasamento somente na teoria. É sem sombra de dúvidas que, por parte das mais variadas facções do server, há erros grotescos de interpretação sobre drogas psicoativas, sejam elas nootrópicas ou depressoras do sistema nervoso central.

Irei utilizar neste tutorial estudos reais, como são aplicáveis na interpretação, suas partes teóricas detalhadas e tudo pra fomentar um roleplay mais realista destas queridas substâncias que são utilizadas desde os primórdios da humanidade.

1. O que são psicotrópicos? 2. Interpretando as drogas
O que são psicotrópicos?
Partindo do princípio que você more dentro de uma caverna e não saiba utilizar o google, psicotrópicos são quaisquer substâncias que ajam alterando seu humor, o seu comportamento e sua consciência.[1]

Neste tutorial, irei abrigar três tipos (nootrópicos, depressores e alucinógenos) de entorpecentes/psicotrópicos. Eu não vou chegar aqui e listar a vasta lista de drogas existente no mundo inteiro, vou fazer uma sondagem das que existem no servidor, das que são mal interpretadas e o que pode ser interpretado.

O que são nootrópicos?
Cobrindo por cima, nootrópicos ou estimulantes são drogas que estimulam a capacidade cognitiva do ser humano.[2] Quando você se refere à "capacidade cognitiva" você não se refere somente à capacidade de aprendizado de outrem, você também se refere à capacidade motora, da memória e várias outras áreas atingidas com este abrangente termo.

Exemplos de drogas estimulantes/nootrópicas são a cocaína, as anfetaminas, o metilfenidato, modafinila, crack e por aí a lista segue. Em geral, essas drogas aumentam a frequência cardíaca, co-ligadas com o receptor histamínico H1, que está ou não relacionado com a dopamina. Também pode ter relação com a liberação da noradrenalina no receptor beta-1.

O que são depressores?
Os depressores, ou depressores do sistema nervoso central (SNC) são drogas que promovem inibição do funcionamento do cérebro, falando "a grosso modo".[3] Isto, como já explicado anteriormente, afeta o que a gente já conhece como "capacidade cognitiva", que abrange a psicomotora também.

Exemplos de drogas depressoras do sistema nervoso central são ansiolíticos (incluindo a cannabis), opiáceos (heroína, morfina, fentanila, por aí vai) e outros exemplos (dos quais os úteis serão descritos no tópico). Cada um age de uma forma específica. As benzodiazepinas e barbitúricos agem através do ácido gama-aminobutírico, enquanto os anti-histamínicos agem sobre a quantidade de histamina no cérebro; já os opiáceos, segundo alguns estudos, se ligam à receptores MU (receptores analgésicos) e também existem alguns que se ligam ao receptor GABA-2, que tem mostrado ser eficaz na diminuição das dores.

O que são alucinógenos?
Quando você lê a palavra você já entende o que é. Se tratam de drogas que te causam alucinações.[4] Geralmente você consome uma droga comum e tem como um dos efeitos colaterais a alucinação. É exemplo disso em algumas pessoas o uso de anti-depressivos, como dos quais a amitriptilina — um anti-depressivo tricíclico, com alto índice de overdoses. Conheci uma mulher que sofria alucinações com essa medicação.

A alucinação não vem somente por causa do uso de uma determinada substância, e sim pela forma pela qual são regulados os seus neurotransmissores no cérebro. Existem muitas drogas alucinógenas, drogas simultaneamente depressoras e alucinógenas e drogas simultaneamente estimulantes e alucinógenas. É uma coisa complexa de se entender.

Os estudos mostram[5] que as drogas alucinógenas geralmente são reguladas através dos neurotransmissores serotonina e noradrenalina. Você já deve ter ouvido de um médico ou do seu próprio pai aquela frase comum: "O que diferencia o remédio da droga é a dose!", isso não deixa de ser verdade. Quando você toma um psicodélico/alucinógeno como o LSD, os seus níveis de serotonina cortam giro, causando os efeitos à curto prazo como à "síndrome serotoninérgica" (que não passa de uma situação momentânea) e também age sobre a dopamina, causando um pouco de euforia descomunal.

--

Agora que você já tem o mínimo de ideia do que são as drogas e como elas funcionam dentro do nosso cérebro, é hora de ir a interpretação das drogas no cenário do roleplay. Vou dar uma explicação bem meia-boca de como elas funcionam em específico no cérebro e partir mais pra parte da interpretação, erros comuns e todas essas coisas em geral:

Interpretando as drogas
Existem inúmeras palhaçadas e faltas interpretativas no cenário brasileiro. Chega a ser grotesco, um país como o Brasil onde você vira as costas, chega na esquina e já acha um drogado ou uma boca de fumo os caras sequer conseguirem interpretar como uma droga age no corpo, ou quais outras drogas conseguem ser interpretadas. Porra, existe um mundo vasto de drogas por aí que poderiam ser interpretadas e que os jogadores sequer dão uma foda pra isso, vão lá e fazem o básico de sempre ou o que viram os "hard-roleplayers" (com seus roleplays manjados de sempre, é claro) fazerem.

Pesquisem mais sobre cada droga, pesquisem sobre o cenário atual nos Estados Unidos das drogas, pesquisem sobre as Cédulas de Proibição da Food And Drug Administration (FDA) e vejam quais as drogas que mais tão na moda, o que tá sendo usado nas festas, o que não está sendo usado, todas essas porcarias.

Interpretando a cocaína e o crack
Velho kkkk, essa é a parte mais engraçada que eu acho na interpretação das drogas. Pensa em umas drogas manjadas pra caralho no Brasil que os caras não conseguem interpretar direito. Não vou ser idiota o suficiente pra chegar aqui cheio de pedras nas mãos e julgar os jogadores por causa disso, porque já o fiz; mas pesquisar um pouco evita aqueles roleplays de /me cheira cocaína e 2 minutos depois tá tranquilo, ou aqueles roleplays que o cara vive cheirando cocaína e fumando crack, tendo abstinência pelo sistema e não interpreta a abstinência da forma correta, ou o rebote das drogas.

A cocaína antes era usada como um anestésico local, mas já foi usada mais anteriormente com o mesmo objetivo pelo qual é usada hoje: evitar fadiga, dar gás.[6] Assim como seus amigos, a xilocaína e outros anestésicos locais, a coca foi usada muito como anestésico local, mas o grande problema em comparação à seus irmãos anestésicos locais era que ela caía muito pra corrente sanguínea. Havia um desperdício descomunal da droga na corrente sanguínea, e quando caía lá você já imagina o que acontecia.

A cocaína age como inibidor seletivo de recaptação da dopamina imediato e extremamente forte; é, basicamente, um dopaminérgico. Seus colaterais conhecidos à curto prazo e enquanto você faz uso da droga é a falta de apetite, batimentos cardíacos acelerados, "mente à milhão", sensação de estar andando pra frente mesmo estando parado, sede demasiada, agressividade e outros já manjados pela comunidade. Só que uma coisa que eu acho interessante é esses efeitos, como a sede e a falta de fome, ou hiperatividade provocada pela droga. Eu via os jogadores cheirando um pó, ficando AFK, falando tranquilamente, não faziam algo de útil, não interpretavam as alterações insanas que a droga causava na pessoa, não interpretavam a sede ou os problemas fisiológicos dela, como a respiração ofegante causada pelo aumento da frequência do músculo cardíaco. É notável pra qualquer pessoa que não está drogada quando alguém fica drogado de cocaína.

Já o crack foi uma coisa que foi "feita nas coxas". Os caras juntaram bicarbonato lá, tocaram com cocaína e disseram pro pessoal fumar. O baixo preço deriva porque há uma pequena quantia de cocaína embutida na droga, enquanto há uma quantidade maior de bicarbonato de sódio (para dar o aspecto de pedra e poder ser fumado/inalado); um comum "batismo" de droga que resulta na existência de outra. Os efeitos colaterais são os mesmos que cocaína, por mais que achem que não.

O problema de todo esse roleplay agora vem no rebote. Nunca na minha história do advanced eu vi um usuário gostar de interpretar de forma assídua as drogas, nenhum deles interpretou o rebote da dopamina, que é percebido com o final do efeito e é acompanhado de tristeza descomunal, fraqueza física, perda do controle psicomotor, um pouco de fome (em casos raros) e outros efeitos bem desagradáveis. E isso acontece logo após que o efeito passa.

A abstinência dessas drogas é uma merda. Eu acho que é mais que certo tirar a vida do infeliz pra forçar ele a interpretar a abstinência da droga, porque só alguém que já passou por uma experiência de abstinência destes psicotrópicos sabe o quão é horrível a sensação. Geralmente em uma abstinência de cocaína e crack, você sente enjoos fortes e sem sentido, sensação de cabeça "desligando e ligando", falta de força física, falta de apetite e outros mil e um sintomas pesquisáveis, mas variam de pessoa pra pessoa.

Você precisa interpretar a agilidade mental que você tem quando você usa essas drogas, assim como a abstinência de forma assídua. Entender que estas drogas (em específico estas aqui, nootrópicas) não causam efeitos visuais perceptíveis em doses comuns, não causam alucinação em doses comuns e alimentam demais o seu ego. Você muitas vezes acha que fica em um êxtase e que tem força pra fazer mil e uma coisas, mas geralmente o que muda é o seu ânimo; já vi muita gente na minha frente estralada de pó desmaiar porque achava que conseguia levantar alguma coisa muito pesada ou algo do tipo. Você pode se sentir, mas você não vira um super herói. Algumas vezes as drogas nootrópicas ajudam você a não sentir dores físicas enquanto sob estado de entorpecimento.[7] Por isso, não julgue aquele cara que fez roleplay de tomar um tiro de raspão ou um tiro em alguma área não vital e interpretou que continuou correndo (é claro, se ele tiver usado alguma coisa e tiver base interpretativa para tal).

Outros exemplos de drogas aplicáveis para meu exemplo: modafinila, efedrina, anfetaminas (todas), pseudo-anfetaminas e outros estimulantes existentes que agem sob a dopamina.

Portanto, quando você usa esse tipo de drogas que agem sobre os neurotransmissores da dopamina, elas provocam à curto prazo um rebote bem desgostoso. Elas provocam uma sensação de ego indestrutível, mas é proporcional ao rebote que acontece depois. Você deve interpretar uma sensação triste, falta de ânimo, falta de diálogo social. Tem gente com problema de depressão ou algo do gênero que faz uso dos dopaminérgicos que se matou depois de usar alguma coisa por longo prazo.

Sua personalidade enquanto você usa você fica um lixo. Pra você, tu tá ótimo e tudo tá dando certo, você tá sendo super legal com todo mundo e tal, mas as outras pessoas não gostam de pessoas cheiradas durante todo o instante, é irritante.

Interpretando a maconha e outros depressores
Um ponto positivo da comunidade é que interpretar a maconha eles sabem. Ainda existem algumas incógnitas na interpretação da cannabis e sua atual situação nos EUA, mas a pesquisa é muito fácil. Nos EUA, a comercialização de cannabis na maioria dos estados é legal nos dias de hoje (11/2018) para uso recreativo. Só que você não pode chegar aqui e fazer o uso "só da maconha", achando que é uma droga só ou achando que existe só uma variável.

É comum lá nos EUA eles comercializarem bebidas com CBD, balinhas com CBD e tudo com a porra do canabidiol. O canabidiol, pra quem não tem ideia do que seja, é a substância utilizada com princípio medicinal dentro da maconha. É encontrada em altos índices na planta indica em vez da sativa. Os seus efeitos são mais ansiolíticos do que entorpecentes. Quando você consome CBD, você tem a mesma sensação (ou bem mais fraco) do que tomar um clonazepam, um alprazolam ou outra droga que te deixe de boa, sem ansiedade. É utilizada em tratamento para ansiedade.[8]

Mas aí chega o Joãosinho e fala:
Porra, ow muleke, fumei desse bagulho aí tá ligado, e pra mim me deixou pior fiquei com ansiedade, tá ligado?
Geralmente o que provoca os efeitos ansiosos em alguém é o THC; ele aumenta o ritmo cardíaco e o seu único uso terapêutico nos EUA é para depressão, sem qualquer relação com a ansiedade. A maconha que é comercializada aqui no Brasil é em base a sativa, a que mais tem concentração de THC, o que causa mais ansiedade. A indica também tem concentrações de THC, mas tem mais de CBD; de qualquer forma, isso não afeta em nada o efeito final da droga, já que o CBD aumenta a bioconcentração de THC automaticamente quando elevada no sangue. Você vai ficar chapado se fumar das duas, e as duas vão te provocar um efeito chatinho ansioso, só que existem derivações de sementes da indica e da sativa, que no plantio final proporcionam efeitos melhores para ansiedade e para depressão, com CBD e THC respectivamente.

O CBD e THC agem sobre os receptores canabinoides (CBD-1 e CBD-2). Agem simultaneamente quando separados como antagonistas e agonistas de um destes receptores.

Você não vai ver nada, sem efeito visual, por mais que isso seja manjado já pra comunidade. Você sente leseira, pensamentos avoados (possível colateral da alta serotonina circulante, similar ao LSD), peso corporal e tudo o que você sentiria consumindo álcool.

Não é tomado por certo que isso advinde do THC, mas um dos efeitos colaterais deste químico incluso na maconha é a fome. Em pessoas com problemas cardíacos, a maconha pode sim matar (cardíacos com risco alto/muito alto). Ela pode causar problemas neurológicos (você vai ficar burro, afeta pra caralho seu córtex pré-frontal/lóbulo frontal) e pode causar problemas respiratórios dependendo de onde você fuma ela e em qual constância você fuma. Ela geralmente pode alterar a sua temperatura corporal em pequenos graus, para mais calor.
[center][img]https://thumbs.gfycat.com/HardGreatElk-size_restricted.gif[/img] [size=85]Imagem animada do [i]Xanax[/i], o alprazolam (benzodiazepina) comercializado pela [i]Pfizer[/i].[/size][/center]|Já os [i]depressores[/i] dos quais falei, são pouquíssimo explorados aqui no servidor. Ninguém explora eles e são as drogas que mais são utilizadas lá nos EUA. Porra, vocês não viram gente que nem o Lil Peep morrer por overdose de opiáceos e ansiolíticos? Vocês não sabem como essas drogas entorpecem nas doses certas. Vocês não fazem sequer questão de interpretar isso. Vou dar alguns exemplos de drogas que tem potencial entorpecimento: [list][*]Clonazepam (comercializado como Klonopin, pelo laboratório Roche); benzodiazepina [*]Alprazolam (comercializado como Xanax, pelo laboratório Pfizer); benzodiazepina [*]Dimenidrinato (purple drink, comercializado aqui como Dramim); [*]Fentanila (opiáceo, obtido somente em hospital, comercializado com o nome de Fentanyl Citrate, traduzido como Citrato de Fentanila);[/list] As benzos agem no GABA, os anti-histamínicos agem na histamina e os opiáceos agem nos MU. Alguns efeitos colaterais à curto prazo do uso dessas substâncias é sedação, falta de controle psico-motor, sensação de "drogado" (geralmente obtido com drogas z, como zolpidem), agressividade (às vezes rola com clonazepam)[9] e outros efeitos colaterais.

Assim como a maconha, você também pode ficar burro com o uso à longo prazo destas substâncias; elas inibem de forma forte o seu SNC através do ácido gama-aminobutírico, e isso também afeta o lóbulo frontal. Sua resposta cognitiva fica atrasada e danificada ao longo do tempo; possui também alto índice e abstinência quase idêntica à de nootrópicos, variando de acordo de pessoa pra pessoa. Os principais efeitos da abstinência são insônia, agressividade, ansiedade, falta de apetite ou incremento de apetite e outros efeitos desagradáveis.

Diferente da maconha, os ansiolíticos tem alta reincidência de morte, sem sequer fazer questão de entrar nos analgésicos/opiáceos, que matam que nem fosse dar bom dia.

Não há uma dose específica para overdose, seus receptores geralmente se acostumam com determinada dose de uma droga e já não respondem como respondiam antes á aquela dose, isso se chama sensibilidade à medicação. É como você dar a bunda pra um negão enfiar um pau grosso e enorme e depois enfiar um pausinho bem fino: pra você não vai ser nada; isso é aplicável pras drogas.

Esse meu exemplo é aplicável para as seguintes drogas: benzodiazepinas, barbitúricos, opiáceos, anti-histamínicos e outras drogas do gênero.

Interpretando LSD, ecstasy e drogas alucinógenas
O mais meia foda de todos os assuntos. Esse aqui não e muito complicado mas não e muito fácil. Você geralmente quando consome algum alucinógeno que mexe com sua cabeça de forma insana, você sente colaterais visuais. São as únicas drogas que você vê alguma coisa, mas não é aquilo que você pensa. O que você pode ver com essas drogas é uma distorção de visão, como se sua visão estivesse trêmula (efeito derretimento), como se você estivesse vesgo (visse duas vezes a mesma pessoa) ou como se estivesse com a visão achatada (difícil de explicar, mas é achatado, as pessoas mais largas e tal).

Geralmente algumas destas drogas, como o ecstasy, provocam um aumento tão insano de serotonina e dopamina que provocam uma sensação de euforia e êxtase; muita gente usa essas drogas para ficar acordado. Existem casos raros em que pessoas relatam visões estranhas, como gente estranha ou animais. Existem variações de humor com drogas como o LSD, em que a pessoa tá feliz e do nada fica uma bosta, caída por terra. Isso é por causa do neurotransmissor serotonina, que fica brincando de looping, de rodinha gigante lá na tua cabeça. Fica subindo e abaixando e, conforme teus pensamentos influenciam, você pode ficar muito mal ou muito bem.

Ecstasy causa overdose, LSD em sua forma pura não costuma causar overdose. Existe também a cetamina, que é pouco explorada aqui (pouco explorada o caralho, vai numa rave pra ver kkk) mas é muito usada lá nos EUA, conhecida como key e fácil pra caralho de fazer aqui no Brasil (é sério, uma criança de 8 anos consegue fazer) que proporciona euforia, anestesia no local da aspiração e looping de serotonina e toda aquela gurizada que eu já falei. Difícil foram as vezes em que as pessoas tiveram overdose com cetamina.

Formas de uso das drogas do server
Vou fazer um guiasinho bem básico das drogas existentes no servidor, o que são, forma de uso e seus colaterais.
  • Maconha: Causa batimentos cardíacos acelerados, PA baixa, fome demasiada, "leseira", boca seca, vasos estourados nos olhos (vermelhidão nos olhos), desordem, tontura e em casos extremos o desmaio. Pode ser inalada ou ingerida via oral, mas é comumente inalada. É encontrada na forma prensada, em bud ou junto de uma comida como tempero.
  • Heroína: Causa batimentos cardíacos extremamente lentos, PA baixíssima, sedação, alívio de dores, falta da percepção do tato e olfato, depressão do sistema nervoso central (respiração extremamente lenta), falta de vigor físico e outros sintomas. Pode ser injetada via intra-venosa ou pode ser aspirada, como cocaína. É encontrada em forma aquosa ou em pó.
  • LSD: Causa batimentos cardíacos acelerados, PA alta, pensamentos confusos, visão distorcida (sensação de derretimento ou visão achatada), oscilações de humor fortíssimas e outros sintomas. É encontrado em forma de pó ou inserido em um papelote solúvel em água/saliva. Comumente consumida através do contato sublingual.
    Cocaína e Crack: Causa batimentos cardíacos aceleradíssimos (acima de 160bpm), PA altíssima, agressividade, sensação de andar pra frente estando parado, boca seca, tremores, calor excessivo, vigor físico, falta de fome e outros sintomas. É encontrado em forma de pó e pedra, respectivamente. Comumente consumidos através da aspiração e inalação, respectivamente.
    Metanfetamina: Causa batimentos cardíacos aceleradíssimos (acima de 160bpm), PA altíssima, agressividade, sensação de andar pra frente estando parado, boca seca, tremores, calor excessivo, vigor físico, falta de fome e outros sintomas. É encontrado em forma de pedra e é inalado.
    Naltroxona: Causa leve ou nenhuma alteração no sistema cardíaco, funciona como antagonista dos receptores opiáceos e é utilizado no tratamento para o alcoolismo.
    Fluoxetina: Anti-depressivo, causa sintomas de abstinência fortíssimos, causa falta de concentração pelos altos níveis de serotonina e afeta a libido de forma negativa. É encontrado em forma de comprimidos e é consumido de forma oral. Extremamente contra-indica para o tratamento de abstinência de maconha.
    Modafinila: Nootrópico, provoca estímulo fortíssimo ao sistema cardiovascular, força de vontade, atividade física, vigor, mas também sofre com o problema de causar rebote. Extremamente contra-indicado no tratamento para abstinência de cocaína. Encontrado em forma de comprimido e consumido por via oral.
Esteroides anabolizantes
Os esteroides anabolizantes eu fiz questão de separar porque não são drogas psicotrópicas (apesar de agirem nos neurotransmissores através dos neuroesteroides, provocando ansiedade). Há uma interpretação muito grotesca destas drogas no servidor.

Não vou fazer apologia à droga, mas ela não mata conforme vocês acham. No Brasil a testosterona é comercializada como um esteroide anabolizante legal obtido por receita C1 branca, de duas vias. Vendida anteriormente e interrompida como Durateston (em vários ésteres) e comercializada pela sigma pharma sob o nome de Deposteron (sob o éster cipionato). Você morre se você aplica essas substâncias oleosas de forma intra-venosa e, POR MAIS ESCROTO QUE SEJA, VOCÊ NÃO CRESCE NA HORA QUE VOCÊ APLICA!!!, a única coisa que você cresce na hora que aplica é Synthol.

Os esteroides anabolizantes provocam aumento de hormônios já presentes em nosso corpo que facilitam o anabolismo (síntese proteica do músculo) pelos músculos do corpo com mais receptores, pré-definidos geneticamente. Então, pare de interpretar que você injeta anabolizantes e cresce na hora, essa merda é mentira.

Referências
1. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 412.
2. A. Arthur Reade, (1883). Study and Stimulants], the use of intoxicants and narcotics in relation to intellectual life, as illustrated by personal communications on the subject, from men of letters and of science.
3. http://www.painfullyobvious.com/depressants_7.asp
4. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. pp. 94, 1 411.
5. Graeff, Frederico G. Drogas psicotrópicas e seu modo de ação. SP, EPU / EDUSP, 1984
6. http://www.alcoolismo.com.br/artigos_dr ... a_hist.htm
7. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12235255
8. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1969666
9. https://www.medicinenet.com/clonazepam/article.htm

créditos: Gustavo Baldin
Editado pela última vez por Baldin em 17 Jun 2019, 15:54, em um total de 1 vez.
Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. — Carta de Paulo aos Coríntios, capítulo 13, versículo 1

Avatar do usuário
Juches
Premium Member
Mensagens: 273
Registrado em: 10 Dez 2018, 16:46

Re: Como interpretar as drogas corretamente

Mensagem por Juches » 23 Abr 2019, 02:13

boa, vo usar na vida real

curcajr
Mensagens: 5
Registrado em: 28 Jan 2019, 10:24
Discord: YoungBrick #7839

Re: Como interpretar as drogas corretamente

Mensagem por curcajr » 23 Abr 2019, 02:50

VALEU ACHEI QUE ERA SO DAR UM TECO

Avatar do usuário
Praz3r
Mensagens: 16
Registrado em: 22 Jan 2017, 15:13
Localização: IDK
Discord: Praz3r#0510

Re: Como interpretar as drogas corretamente

Mensagem por Praz3r » 23 Abr 2019, 03:16

Ficou muito bom, parabéns, vou conseguir melhorar o meu RolePlay com suas dicas, obrigado.
Imagem

[quote]Nenhuma árvore pode crescer até o céu sem que suas raizes desçam até o inferno.[/quote][/i]

Responder