[EOC] A inevitável Cleptocracia Eurasiática - Advanced Roleplay


 
Avatar do usuário
Lenkeranski
Autor
Registrado em: 23 Dez 2013, 20:53

[EOC] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

04 Jun 2019, 21:24

Importante
O tópico está em construção, ainda falta muita coisa.


Imagem
Russian Organized Crime - ROC
Aqui estamos na origem do crime organizado que mudou parte do mundo e principalmente ajudou na construção da "Nova Rússia". Se você parar pra analisar com calma, a Rússia é uma cleptocracia onde você não consegue separar autoridades, crime e política. O crime organizado russo ganhou visibilidade na década de 90, mas já existia antes disso e aqui vou falar apenas de uma parte, senão eu nunca vou terminar esse guia.
Uma fraternidade conhecida como Vory V Zakone (ladrões na lei ou autoridades no crime) teve seu reconhecimento nas antigas prisões soviéticas, os membros tinham/tem o corpo repleto de tatuagens que contavam sobre sua vida criminal dentro e fora da cadeia. Com o suspeito início de queda da União Soviética, a relação conjunta de Crime & Governo ficou mais aparente. O país era comunista, centralizado, e do nada vira uma democracia. Isso fez com que os criminosos entendessem que não existiam mais regras. Foi um caos total, e o crime organizado viu como uma grande oportunidade. Diversas organizações que operavam nas escuras devido o medo do governo comunista, agora poderiam ascender.
Simplesmente as organizações criminosas aproveitaram o caos "legal" no país e compravam ou invadiam, propriedades, indústrias, e tudo que o novo governo tinha colocado à venda. Não haviam delimitações e o país se tornou violento com os conflitos de criminosos pelo poder. No meio desse furdúncio surgiram muitas alianças de gangues desestruturadas, sem uma hierarquia fixa. Após o colapso da URSS, algumas gangues estavam se estruturando e tinham seus territórios. Anos depois, o presidente Boris Yeltsin declarou que a Rússia era "o país mais mafioso do mundo".
Os grandes criminosos das máfias russas hierarquizadas buscam o crime que atinge diretamente o país, a corrupção. No cenário de desintegração da União Soviética os mafiosos Vory V Zakone se instalaram dentro do novo governo, resumidamente o medidor para saber se um Vory é poderoso: o quanto ele pode influenciar funcionários públicos importantes.
As organizações russas operavam junto com o governo na reestruturação da Rússia, e isso torna a Rússia um país poderoso diante dos seus vizinhos, já que com o crime organizado trabalhando em conjunto, eles podiam tirar inúmeras vantagens econômicas. O próprio Putin sabe o quanto a máfia russa é importante para o crescimento do país, ele entendeu que precisa saber "levar" as organizações criminosas. No fim da URSS, o atual presidente Putin tinha fortes laços com a máfia de São Petersburgo (cidade que ele era vice-prefeito).
A máfia russa tem forte controle em determinados pontos da Rússia e setores da economia global. O ROC em si, não teve quase nenhum envolvimento em crimes tradicionais nos EUA, como jogos de azar, tráfico de drogas e sim com o tráfico de armas, corrupção e fraudes em sistemas do governo. Mas a flexibilidade com o passar dos anos é necessária, então no avanço das fronteiras após o colapso, fez com que as organizações tivessem o leque de crimes quase ilimitados: tráfico de armas, agiotagem, tráfico humano, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, roubos de carros de luxo, dentre os mais comuns.
A Europa e outros vizinhos da Rússia tiveram grande preocupação com a situação que estava tomando forma na Rússia, um país controlado ou administrado junto com a máfia. Na realidade o mundo estava sob ameaça do poderoso crime organizado que estava ascendendo de forma estruturada com alto nível de impiedade e sofisticação. Em poucos anos os Crimes Transnacionais Russos entraram nos holofotes.
Com o crescimento rápido dessas organizações, não é possível bater o martelo sobre a hierarquia específica dos grupos. O termo "máfia russa" foi generalizado no meio do turbulento crescimento criminoso, muitos dos grupos que cometem crimes Transnacionais são considerados do Crime Organizado Eurasiático.
Nesse cenário que os Vory V Zakone emergiram como verdadeiros criminosos influentes no país. Eles são um híbrido de mafioso-empresário, cobravam empresas para protegê-las de outros grupos criminosos, controlavam pontos importantes para o tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e outros crimes. Um vor é uma figura de respeito no crime organizado, e a nova escola de vors não tatuam mais o corpo obviamente por causa das autoridades. Em países como a Geórgia é um crime você ter tatuagens sobre Vory V Zakone. Porém ainda é possível ver vors recém-coroados tatuarem as estrelas nos ombros, simbolizando um alto cargo no crime organizado.
Embora a influência dos Vory V Zakone aparentam ter diminuído, eles continuam causando diversos conflitos, e se preocupam com sua imagem diante de todos, afinal ninguém quer terceiros falando coisas negativas sobre sua pessoa. Hoje os Vory se espalharam pelo mundo, Estados Unidos, Espanha, Alemanha, França, Itália e todo Leste Europeu. Estão envolvidos desde furtos até bilhões de dólares em lavagem de dinheiro, também participam como "árbitros" para resolver conflitos entre organizações criminosas russas. Existem registros deles atuarem em duplas em determinado país, comandando pequenos grupos de nativos de países que formavam a União Soviética.

Vou citar abaixo algumas organizações que foram impactantes na luta pelo poder nos turbulentos anos 90.

Schelkovskaya OCG
A Schelkovskaya foi situada no distrito de Moscou chamado Shchelkovo de 1995 até 2009. A organização ganhou notoriedade por uma série de assassinatos. Segundo os investigadores, os membros da organização criminosa assassinaram cerca de 60 pessoas, dentre empresários, gangsters e inclusive do membros do próprio grupo.
O fundador da gangue chamado Alexander Matusov, conhecido como Basmach. Antes de ter criado sua gangue, ele era membro da Izmailovskaya OCG. Quando Basmach criou a gangue ele conseguiu manter-se longe dos oficiais. Sua gangue era conhecida pela crueldade, os membros preferiam matar concorrentes do que negociar.
Pelo seu reconhecimento, a Schelkovskaya começou a se especializar em assassinatos por contrato, sequestros e torturas em busca de dinheiro. Segundo as investigações, todas as vítimas (mesmo com o dinheiro do resgate) eram mortas e enterradas no próprio distrito.
Em 2009, um processo criminal foi aberto contra membros da Schelkovskaya e Basmach estava na lista de procurados. Somente em 2014 ele foi preso na Tailândia e extraditado para a Rússia. Ele foi julgado e por incrível que pareça foi absolvido.

Izmailovskaya OCG
A gangue foi formada década de 80 e era composta de 200~500 membros. Ela se uniu com outros grupos, como por exemplo a Golyanovskaya. Atuou nos distritos do Leste, Nordeste, Central e Sudeste, também o distrito de Lyubertsy e Balashikha de Moscou.
Esta gangue teve rivalidade com grupos chechenos. No começo, a Izmailovskaya estava envolvida com roubos e proteções de empresas. Posteriormente, com a ajuda de ex-agentes que se juntaram ao grupo, ela estabeleceu empresas de segurança privada, facilitando suas atividades com armas. O grupo também tinha contato no governo e se aproveitava de informações para evitar punições de subornos.
A gangue fazia a lavagem do dinheiro com casinos e funcionários da elite. Além disso, o grupo desviou boa parte do dinheiro para o exterior, criou empresas e os gangsters disputavam o controle de grandes negócios metalúrgicos do país.
Nos anos 90 a gangue começou a sentir o peso e foi afugentada pelos concorrentes e autoridades. Membros sendo presos e assassinados . O chefão Anton Malevsky (Anton Izmailovsky) mudou-se para Israel e depois para África do Sul, onde faleceu em um salto de paraquedas.

Tambovskaya OCG
Essa gangue foi considerada uma das mais poderosas que operou em São Petersburgo nos anos 90 até o começo dos anos 2000. A Tambovskaya tem esse nome devido os líderes Kumarin e Ledovskikh serem da região de Tambov. Eles começaram fazer a proteção de thimble-riggers e depois passaram a praticar extorsões.
Em 1990, Kumarin, Ledovskikh e outros membros da gangue foram condenados por extorsão. A gangue voltou à ativa após a liberdade dos membros. Eles cresceram muito rápido criando conexões com empresários e políticos. Em 1993, a gangue começou a participar de conflitos sangrentos. Segundo alguns relatos, a gangue atraía chechenos para resolver seus problemas.
Os membros da Tambovskaya OCG estavam operando em exportação de madeira e importação de equipamentos de escritório para jogos de azar e prostituição. Desde meados da década de 90, eles começaram lavar o dinheiro, assim reduzindo a atividade criminosa. Eles tinham diversas empresas de segurança privada, monopolizaram o combustível e energia de São Petersburgo. Na época, Kumarin recebeu apelido de governador de São Petersburgo de tão poderoso que era.
Nos anos 2000, a gangue começou a ter dificuldades após uma série de prisões do alto escalão. Kumarin foi condenado a 23 anos por tentativa de homicídio em um empresário. Mais tarde ele enfrentou mais dois processos por assassinato.

Orekhovskaya OCG
Um dos grupos criminosos mais influentes (se não o mais influente) dos anos 90 originou-se em 1986 no sul de Moscou. Majoritariamente formado por jovens de 18~25 anos, interessados em esportes e que vivem na região de Orekhovo-Borisovo. O fundador da gangue foi o lendário Sergei Timofeev, apelidado de Sylvester pelo amor ao fisiculturismo e semelhança física ao famoso ator.
Sylvester começou no crime com extorsões, fraudes e oferecendo proteção. Com o tempo, ele uniu sob sua liderança diferentes grupos, incluindo grandes gangues como Medvedkovskaya e Kurganskaya (que um dos membros era o famoso hitman Alexander Solonik), então Timofeev começou alcançar as áreas mais lucrativas. No auge da gangue, ela controlava cerca de trinta bancos na região central, também administrava comércios de diamantes, ouro, imóveis e até mesmo petróleo. Os métodos ousados da Orekhovskaya deixaram sua marca – 13 de setembro de 1994 o carro de Sylvester, uma Mercedes Benz 600SEC foi explodida por um dispositivo remoto.
Após a morte do grande líder, uma batalha sangrenta surgiu. Em 1997, com o apoio de dois outros membros influentes da gangue, os irmãos Pylevs, a liderança foi tomada por Sergey Butorin (Osya). Sob suas ordens, o lendário assassino Alexander Solonik, que estava de férias na Grécia, foi morto. O responsável pelo fim de Solonik foi o hitman Alexander Pustovalov (Soldado).
O colapso da Orekhovskaya começou com o assassinato do investigador Yuri Kerez, o primeiro na Rússia a iniciar o processo do artigo 210 do Código Penal (organização de grupo criminoso). Kerez foi o primeiro oficial de segurança que a gangue varreu do mapa. Segundo alguns relatos, o líder da Orekhovskaya Dmitry Belkin tentou encobrir o caso oferecendo um suborno de um milhão de dólares, mas o investigador recusou. Assim, as autoridades reuniram todas suas forças e investiram contra a gangue.
Ao longo de pouco mais de uma década, as autoridades russas conseguiram desmantelar a Orekhovskaya. Butorin, Pustovalov, os irmão Pylevs e outros membros expressivos foram presos. Belkin foi o último cabeça da gangue, que ficou solto e inserido na lista de procurados internacionais por mais de 10 anos. Em 2014, Belkin e o assassino Oleg Pronin, conhecido como Al Capone, foram considerados culpados por assassinatos. Belkin foi condenado a prisão perpétua em regime especial. Oleg Pronin condenado a 24 anos em uma prisão de segurança máxima.

Existe um nível muito alto de corrupção na Rússia, que auxilia um ambiente propício para o crime organizado. Não são apenas os criminosos que estão se aproveitando das oportunidades oferecidas pelo capitalismo da Rússia. Os agentes do Estado também estão explorando suas próprias oportunidades criminosas de maneira cada vez mais organizada. Em 2016, a polícia invadiu o apartamento do coronel Dmitry Zakharchenko, o chefe de um departamento da que combate a corrupção da polícia. Lá eles encontraram 123 milhões de dólares em dinheiro, tanto dinheiro que os investigadores tiveram que parar a busca enquanto encontravam um contêiner para guardar todo o dinheiro do coronel. De acordo com as autoridades o dinheiro não é todo do coronel, mas sim que ele guardava parte do dinheiro de um grupo de crime organizado.
O relacionamento da elite russa com os gangsters normalmente é sustentada por acordos bilaterais lucrativos, porém esses acordos mostram-se frágeis dependendo dos interesses de cada lado. O moderno Estado russo é muito mais forte do que era nos anos 90 – as gangues que crescem na Rússia tendem a trabalhar junto com o governo, caso contrário ela saberá que a maior gangue do país é o próprio Estado.

Eurasian Organized Crime - EOC
Primeiramente, se você não mora em uma bolha, obviamente você já ouviu falar sobre o Crime Organizado Eurasiático. É basicamente um dos tipos de crime organizado que mais cresce no mundo. Se hoje um grupo inteiro é preso, amanhã surge outro para controlar as atividades. É um grande desafio para as autoridades pararem o avanço exponencial desse crime organizado. Ele é popularmente conhecido como "crime organizado russo", devido ser formado por membros oriundos de países falantes do russo, que eram da defunta União Soviética.
Diferente de organizações como Yakuza e LCN, Grupos EOC não tem uma hierarquia estruturada. Eles são extremamente oportunistas para se beneficiarem com brechas no país, seja em sistemas públicos ou privados. Dependendo do modus operandi da célula em determinado país, ela pode ser flexível em vários pontos. Por exemplo, como uma Network ou até mesmo operar como Enterprise. Nos EUA por exemplo, eles tem como marca registrada fraudes, falsificações e cybercrime.
É muito comum um Grupo EOC ter influência de um Vor V Zakone. Existem VvZ que não são necessariamente russos, e é bem comum ver figuras poderosas da Armênia, Geórgia e Azerbaijão. Quando tem um Vor atuando com um grupo EOC, muitas vezes eles vão seguir o modus operandi ROC, como lavagem de dinheiro, extorsões e tráfico de drogas. Abaixo citarei dois VvZ que atuaram na Rússia e depois foram influentes nos EUA.

Imagem
Vyacheslav Ivankov
Vyacheslav Ivankov era conhecido como "Yaponchik", foi um Vor V Zakone da velha guarda. Crescido em Moscou, Rússia. Ele começou subir na vida do crime após ser libertado da sua primeira prisão devido uma briga de bar. Mais tarde, Ivankov teve envolvimento com gangues. Sua gangue forjava documentação e invadia casas para roubá-las.
Em 1974, enquanto cumpria pena em Butyrka ele foi coroado como um Vory V Zakone, uma posição respeitada no crime organizado russo. Em 1982, ele voltou a ser preso por tráfico de drogas, falsificações e envolvimento com armas. Mesmo ele sendo condenado por 14 anos de prisão, ele foi libertado em 1991, provavelmente por intervenção corrupta de um político poderoso e um juiz subornado da suprema corte russa.
Ivankov chegou aos EUA em 1992, portando um visto que estaria à trabalho na indústria cinematográfica, mesmo tendo cumprido uma sentença de prisão de mais de 10 anos e ter a reputação de um criminoso brutal na Rússia.
O FBI tinha conhecimento que a chegada de Ivankov no país era possivelmente para controlar as atividades do crime organizado. Ivankov ergueu seu reino de terror em Brighton Beach, Nova York. Seu grupo tinha cerca de 100 membros e tornou-se o principal grupo criminoso russo no Brooklyn.
Em 1995, Ivankov é preso pelo FBI acusado por diversos crimes e principalmente por extorquir mais de 2,7 milhões de dólares de empresas. Durante sua prisão, foram encontrados milhares de dólares e vários passaportes falsificados em sua posse. Agora vem a parte mais interessante de Ivankov, ele era o chefão e extorquia pessoalmente suas vítimas. O cara era um verdadeiro gangster.
Em 2004, ele foi deportado para Rússia após anos cumprindo pena nos EUA, dando entrevistas sobre seus crimes e falando sobre especulações que o FBI tinha sobre a máfia russa. Na Rússia ele estava enfrentando acusações sobre um assassinato de duas pessoas em um restaurante de Moscou. Um ano depois ele foi absolvido do caso após testemunhas dizerem que nunca haviam visto ele na vida.
No dia 28 de julho de 2009, Ivankov foi baleado por um atirador de elite ao sair de um restaurante em Moscou. A arma foi encontrada abandonada em um veículo estacionado próximo ao local. O "chefão" da máfia russa faleceu no dia 9 de Outubro do mesmo ano, após não resistir aos ferimentos. Ivankov foi enterrado 4 dias depois em Moscou mesmo, e a Rússia criminosa parou para ver o funeral do mafioso. Estiveram presentes centenas de gangsters representando sindicatos criminosos de toda antiga URSS. Um cartão no funeral haviam mensagens da Bratva do Daguestão e Cazaquistão. Uma guirlanda em nome de Aslan "Dad Hassan" Usoyan, que não estava presente. Segundo especialistas, era o verdadeiro chefão da "máfia russa". Fontes dizem que o assassinato seria proveniente da guerra entre os vors Usoyan e Oniani, e Ivankov estaria apoiando o Dad Hassan.

Imagem
Razhden Shulaya
Razhden Shulaya é um georgiano que foi coroado Vor V Zakone em 2013, junto com outros cinco thieves em Chipre, um ano antes de chegar na América. Nos EUA ele montou uma organização criminosa formada principalmente por russos, ucranianos e georgianos, porém existiam também criminosos da Ásia Central.
Shulaya ficou conhecido pelo seu modo autoritário enquanto operava em São Petersburgo. Segundo especialistas, Shulaya é um confidente de Shakro Molodoy e uma figura de extremo respeito em São Petersburgo. Fontes confiáveis que acompanham o crime organizado russo dizem que Shulaya respeitava e seguia as tradições de Vory V Zakone.
O grupo de Shulaya tinha o núcleo no Brooklyn, Nova York. Mas sua organização também estava em Nova Jersey, Pensilvânia, Flórida, Nevada, e no exterior. Sua influência em território americano era imensa, e especialistas comparam Shulaya com Lucky Luciano, famoso mafioso ítalo-americano. Isso porque ele cresceu de forma gigantesca em pouco tempo atingindo vários estados dos EUA. A organização criminosa operava em pequenos grupos dedicados à tarefas criminosas específicas.
Nos quatro anos atuando como um Vory V Zakone nos EUA, ele ergueu organização expressiva nos EUA e teve total atenção do FBI, que em Junho de 2017 realizou uma das maiores operações contra criminosos do Leste Europeu operando nos EUA. A gangue de Shulaya contava com 33 membros conhecidos, a maioria da Geórgia. Como haviam muito membros, cada um recebeu acusações de acordo com os crimes que praticavam, como contrabando de cigarros, tráfico de drogas, extorsão, roubo de grandes cargas, organização de jogos ilegais, tráfico de armas e assassinatos por contrato. No meio de toda gangue tinha até envolvimento do Campeão Mundial de Boxe Avtandil Khurtsidze e o lutador de MMA Levan Makashvili, que competia no UFC.
A operação foi realizada nos quatro estados que a organização de Shulaya atuava. Durante a prisão do thieve, as autoridades encontraram no celular fotos da estrela de oito pontas do Vory V Zakone, e fotos de Shulaya vestindo uma camisa no mesmo estilo. Razhden Shulaya foi sentenciado por 45 anos de prisão e outros dois membros do grupo por perpétua.


Caucasus Organized Crime - COC
Esse é o tipo de crime organizado mais interessante, na minha opinião. Quando você leva em consideração a quantidade de organizações criminosas e células terroristas presente no Cáucaso, você pode afirmar que o lugar é um bomba-relógio.
Desde a desintegração da União Soviética, os países do Cáucaso passam por conflitos internos e externos, que vão desde reformas econômicas, políticas e o surgimento de muitos conflitos violentos e destrutivos. Os três principais países, Geórgia, Azerbaijão e Armênia continuam enfrentando problemas de segurança, provenientes do crime organizado. Essa situação faz com que os países tenham uma relação conjunta com o crime organizado para controlar os problemas.
No começo dos anos 90, diversos conflitos surgiram como o da Géorgia, por exemplo. Uma guerra civil nas regiões de Abecásia e Ossétia do Sul. A guerra do Azerbaijão contra Armênia conhecida como Nagorno-Karabakh. Com tudo isso, o crime organizado aproveitou a distração desses conflitos para se enraizarem em cada país da região.
Após o atentado terrorista mundialmente conhecido como "11 de Setembro", a região do Cáucaso virou a casa de terroristas, justamente pela falta de segurança os integrantes da Al Qaeda se refugiaram em uma região da Geórgia sem controle algum do governo. Mais tarde, o governo da Geórgia investigou o local após pressão russa, e apreenderam quantidades consideráveis de urânio contrabandeado.
O Azerbaijão também foi vítima de ameaça terrorista, muitas células ativas da Al Qaeda foram descobertas no país. Em Baku, a capital do país, também foram descobertas células que estavam ligadas em atentados no Iêmen e da Jihad Islâmica Egípcia. Os membros foram presos quando planejavam um atentado à embaixada dos EUA no país.
Mapa geopolítico da região do cáucaso
O contrabando de imigrantes é um crime que envolve benefício material ou financeiro pela entrada ilegal de uma pessoa nos EUA. Ele é realizado há anos por criminosos eurasiáticos, desde que os EUA se tornou alvo dos crimes transnacionais desses grupos. Isso gera milhões de dólares em prejuízos para o país, atinge a criminalidade, saúde, economia e bem-estar. Em sua maioria, a atividade é realizada com travessias de balsas e navios de cargas. Os imigrantes normalmente são de países como Armênia, Azerbaijão, Geórgia, que foram protagonistas de conflitos separatistas, étnicos e religiosos, também é comum imigração de repúblicas autônomas da Rússia, como Daguestão, Chechênia, Inguchétia e Ossétia do Norte, que até hoje possuem conflitos de grupos paramilitares. Não é difícil de ver imigrantes da Ásia Central dos países Cazaquistão, Turcomenistão e Uzbequistão.
A imigração na maioria das vezes é para buscar condições de trabalho temporário. Existem células que exploram os imigrantes com taxas para estadia e documentação falsificada. Espremidos em contêineres de navios, dividem espaço com mercadorias ilegais, armas de todo tipo, além de heroína, cocaína e maconha. Por incrível que pareça isso é extremamente difícil de ser identificado quando se tem um número significante de pessoas envolvidos no crime no porto da cidade.
Um imigrante que entra nos EUA através de criminosos eurasiáticos tem que arcar com o custo altíssimo da viagem, normalmente ele se vê forçado a praticar crimes com o grupo para pagar a dívida. É o risco que a pessoa corre ao entrar em território estrangeiro com ajuda de criminosos.
Há uma relação direta do tráfico humano e contrabando de imigrantes com o Crime Organizado do Cáucaso. O tráfico de pessoas é realizado com a promessa de um trabalho melhor no exterior e prostituição, muitas mulheres e crianças são vítimas. O fato de muitas pessoas serem pobres e passarem dificuldades, faz com que elas sejam vítimas dos traficantes. Essa tendência de pobreza e desespero econômico também é encontrada em países balcânicos, porém os países do Cáucaso tem as maiores vítimas desse crime, a maioria da Armênia. As mulheres armênias são vítimas de exploração sexual, principalmente para Europa e comunidades armênias nos EUA. Nas mãos dos traficantes as pessoas ficam presas em esconderijos em condições precárias, mulheres são abusadas e usadas no crime de prostituição, a maioria em escravidão e até mesmo remoção de órgãos. O tráfico sexual cresce antes de grandes eventos no país ou cidade.

Imagem
Armenian Power
Que tal esquecermos aquela street gang que adotou gírias e dress code de gangues mexicanas? Vamos focar na verdadeira AP, a “máfia armênia”.
A Armenian Power é uma organização criminosa que foi consolidada de fato como um grupo estruturado somente nos anos 2000, que deixou os assaltos e tráfico de drogas para as gangues locais e entrou com força no crimes de colarinho branco, incluindo fraudes de identidades, planos de saúde, skimming, empréstimos ilegais, tudo através de métodos sofisticados. Lembrando que vamos comentar apenas a AP de atualmente, seu forte laço com Crime Organizado Eurasiático e com os Vory V Zakone.
Armen Kazarian é um armênio conhecido como “Pzo” no mundo criminoso, foi coroado como Vor V Zakone em 1991, na cidade de Rostov do Don, Rússia. Antes disso, ele chefiou um grupo organizado na Armênia, precisamente em Yerevan. Também é suspeito de ser mandante dos assassinatos de dois thieves na Rússia em 1993.









Reiterando:
- Primeiro devemos levar em consideração que o comércio da heroína Afegã ainda é impactante e dita as regras na Ásia Central e na rota do norte. A droga continua abrindo margens para criminosos falantes do russo, e sem sombra de dúvidas é o principal responsável pela estruturação do submundo criminoso russo. O recente aumento da heroína traficada permitiu que organizações russas lidassem com estrangeiros, principalmente os chineses.
- Vory V Zakone ainda existem e estão fortes em suas atividades, as coroações de novos Vory nunca deixaram de acontecer.
- Grupos ROC são caracterizados por restrição de etnias em suas organizações. Por exemplo: Ostankinskaya e Soltsenskaya.
- Crime Organizado Judaico será inserido no futuro.
- Eu reuni diversas informações de sites, blogs e livros para fazer esse guia básico sobre o crime organizado falante do russo.

Créditos: Lenkeranski
Editado pela última vez por Lenkeranski em 14 Jun 2019, 20:14, em um total de 11 vezes.
Whoever now goes with Louis will never feel fear of hell, for his soul will be in paradise with the angels of our Lord.
 
Avatar do usuário
Tekkila
Registrado em: 06 Set 2014, 12:58
Localização: North Hollywood

Re: [GUIA] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

04 Jun 2019, 21:30

boa queridao
QI de dois dígitos após 2015
 
Avatar do usuário
Ridaz
Callaghan & Associates
Registrado em: 14 Jan 2014, 19:29
Discord: Ridaz#4858

Re: [GUIA] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

04 Jun 2019, 22:13

Aulas.
 
Avatar do usuário
Jason_Massaro
Registrado em: 28 Jul 2014, 06:03
Localização: Castellammare del Golfo

Re: [GUIA] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

04 Jun 2019, 23:17

 
Avatar do usuário
Zeka Zekarino Zekarovic
Shoqata Penale
Registrado em: 29 Set 2016, 13:46
Localização: Elitistas

Re: [GUIA] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

04 Jun 2019, 23:39

Amassou nos estudos, só estou a espera de um novo EOC legítimo no servidor.
 
Avatar do usuário
Barone
Registrado em: 27 Jul 2013, 10:47
Localização: Shrugged Boy

Re: [GUIA] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

05 Jun 2019, 00:13

Foda.
Na favela ou no asfalto, a rua fez um novo rei.
Antoine Bastan
Vive la Marseille
O Absoluto
Pacific Coast
 
Avatar do usuário
witchblades
Registrado em: 17 Out 2018, 19:25

Re: [GUIA] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

05 Jun 2019, 02:28

traz a camisa 10 do mengão pq o amigo merece
 
Avatar do usuário
Lenkeranski
Autor
Registrado em: 23 Dez 2013, 20:53

Re: [GUIA] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

06 Jun 2019, 18:51

Pequenas informações adicionadas ao ROC.

Zeka Zekarino Zekarovic escreveu:
Amassou nos estudos, só estou a espera de um novo EOC legítimo no servidor.

Em breve.
Whoever now goes with Louis will never feel fear of hell, for his soul will be in paradise with the angels of our Lord.
 
Avatar do usuário
Absurd Hero of Geneva
Premium Member
Registrado em: 12 Jun 2014, 00:11

Re: [EOC] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

07 Jun 2019, 09:32

As informações do aspecto cleptocrático da Rússia pós-1990 são de suma importância para o discernimento interpretativo desse ambiente do crime organizado. Parabéns pela precisão de guia, o servidor carece das suas facções.

Imagem
 
Avatar do usuário
jackwest
Game Admin
Game Admin
Registrado em: 15 Nov 2017, 20:52
Localização: On the frozen peaks of Siberia
Discord: jackwest#1526

Re: [EOC] A inevitável Cleptocracia Eurasiática

07 Jun 2019, 09:40

Nossa, perfeito!
Game Admin
Member of Report Team
Member of Property Team
I miss you
I really fucking miss you, I miss kissing you
I miss everything I'm used to
But fuck you
I get it, I'm too sensitive, I get it, I'm too genuine
I get it I’m too venomous to people like you

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: JairoRibeiro e 21 visitantes